.:Matheus com H│Blog: Setembro 2015

27 setembro 2015

"Cancioneiro do Imigrante" - Sala B

Obs.: todas as fotos nessa postagem foram retiradas de páginas do próprio grupo. 
Ontem (26/09) fui a uma apresentação de dança contemporânea do grupo Sala B, que se apresentou no Teatro Francisco Nunes, no centro de Belo Horizonte.


Nunca tinha assistido a uma apresentação de dança com um tempo maior de duração e nunca tinha assistido a uma apresentação de dança contemporânea. "Cancioneiro do Imigrante" é quase como um teatro sem falas, no qual a história se dá pela sucessão de diversas músicas de vários estilos e por uma sequência de passos muito bem elaborados. Há, no decorrer do espetáculo, um traçado da influência estrangeira e nacional no processo de formação do povo brasileiro. Nesse sentido, o objetivo da obra foi, de fato, alcançado.


O conhecimento prévio sobre o processo de migração no Brasil, sobre músicas de outros países ou até mesmo uma noção de outros idiomas (saber reconhecer) possibilitam um maior proveito da apresentação. Esses conhecimentos são uma forma de situar o espectador sobre o que ocorre no espetáculo. Entretanto, mesmo que não haja esse saber prévio, o nível de admiração não decresce, visto que se trata de uma apresentação bela, com muitas cores, pesquisa musical impecável e artistas com bastante técnica e muito bem preparados


A respeito da parte técnica, a iluminação se dispõe harmoniosamente com os vários momentos da história. A disposição e a ocupação do palco é bastante agradável. O cenário desempenha um papel fundamental (vide fotos) e é bem sugestivo. Um problema que percebi é que a amplitude do som estava um pouco elevada, sendo que em alguns momentos vi algumas pessoas cobrindo os ouvidos. Mas não creio que esse seja um problema decorrente. 


Parabenizo os dançarinos e todos os envolvidos e recomendo muito essa apresentação de dança contemporânea. Mais informações no evento e no grupo: AQUI e AQUI.
Um beijo pra Alice, minha amiga e linda bailarina da terceira foto. Obrigado por ter me chamado.