.:Matheus com H│Blog: Julho 2016

28 julho 2016

Doce?


Tinha macarons no meu sonho, dentro de um pote de vidro, três rosas, um verde e um marrom. Agora estou pensando em que medida isso se relaciona com o fato de eu dormir pensando em você e, ao acordar, seu nome ser o primeiro que eu me recordo. Acho que o recheio representa a surpresa, Algo indefinido que acontece enquanto durmo, mas as duas massas representam a certeza, a medida exata de você em mim. Ainda penso sobre "o doce que adoça minha boca é outro", talvez seja! Que situação hilária! Ainda me envergonho um pouco com as inconveniências de uma certa pessoa... Mas analogamente, o açúcar que adoça minha vida realmente é outro, espero que entenda que açúcar é esse.
Onde está você? O que você fazendo agora? Está feliz? Essas são questões que costumo querer saber sobre você, não é como se eu quisesse ser seu dono, mas sim que me importo com as coisas que são suas. Meu objetivo é fazer com você se sinta como se estivesse dormindo em nuvens de algodão doce. Quero te fazer feliz do seu jeito de felicidade. Eu poderia te dar todos os macarons do mundo, nem sei se você gosta. Eu poderia aprender a prepará-los, só se você quisesse, é uma tarefa muito árdua e requer dedicação. Quero me dedicar a você.
Quem sou eu? Matheus. Matheus com H e estou escrevendo isso pra você. Você deve saber. 

23 julho 2016

Perto


É engraçado conversar sobre abraço com a pessoa que mais se gosta de abraçar. Isso me faz viajar tanto, eu dou voltas e mais voltas pelos meus pensamentos, mas a conclusão que eles me levam é sempre a de que nunca vou me cansar disso. Me sinto tão bem com isso, tão descarregado e confortável. É como se nada mais existisse, mas só aquela sensação e aquele contato. Não sei o porquê disso, mas se eu fosse obrigado a dizer algo, diria que nossas almas estivessem unidas, num toque perfeito. Reflexões... Se eu fosse obrigado a comparar o que sinto com uma situação palpável, (ou quase) seria parecido com estar sobre um cilindro quilométrico e somente ali fosse seguro, o medo de me afastar é imenso, se eu cair dali, cairei para o vácuo, infinitamente. Imaginações... Tantas viagens mentais... E fico viajando em dormir nos seus braços enquanto você canta. Nesse momento, é o meu maior desejo o seu abraçar. Estar perto definitivamente não é físico, nunca foi e nunca será, mas esse contato está em um patamar tão elevado que se faz essencial, ao menos pra mim, I feel myself loved. 

21 julho 2016

Que as luzes não se apaguem sozinhas


Eu estava no banheiro e comecei a sentir centenas de aranhas subindo pelas minhas pernas. Aquilo foi bizarro. Me fez pensar em quantos medos definem um homem. Tenho medo de escutar a voz da minha mãe me chamando e quando eu for olhar, não haver ninguém. Tenho medo quando eu começar a caminhar, meu corpo virar infinitos grãos de areia. Tenho medo de dormir eternamente e cada vez que eu acordar, for um sonho dentro de outro. Tenho medo de estar no escuro e sentir um vulto passar perto de mim. Tenho de medo estar em um canto de um cômodo escuro e sozinho, nu. Tenho medo de acordar um dia e descobrir que era tudo mentira.Tenho medo de ver as pessoas que eu amo sentirem dor ou estarem sangrando. Acho que tenho medo da morte precoce. Tenho medo de falar com as pessoas e minha voz não sair. Tenho medo de não conseguir mais respirar. Tenho medo de quando os animais olham para o nada como se estive algo lá. Tenho medo de ficar paralisado e não conseguir me mover. Tenho medo de muitas coisas mais. Conclui que são todos os medos de um homem que o definem, hoje, o meu maior medo foi um específico.
Tenho medo de ver um certo maravilhoso sorriso se derreter, como se fosse uma vela acesa.

19 julho 2016

48.2203445,16.09988


Pra você dar nome, isso é uma música. Nem nunca escutei, mas sei que existe, provavelmente você já. No silêncio, nada precisa ser nomeado, acho que minha criança interior não se contenta muito com isso, mas ela está de castigo agora. Meu coração, minha razão, pai e mãe deram lição. No silêncio, nada é preciso ter nome, nada precisa ser definido, só precisa ser sentido. E após todo esse vexame no meu lar interior, fui dormir e sonhei que voava por aí, feito um carcará. A sensação? Uma indefinida... Tão boa, que não dá pra explicar. Dê-me um segundo pra pensar, acho que nem em cinco minutos eu sou capaz de elaborar alguma coisa, apenas falarei alguma coisa boba, como como eu gosto do seu cabelo molhado ou como eu gosto do cheiro das suas mãos. Eu quero dormir tendo sua imagem em minha cabeça e acordar com ela.
Eu me sinto como se estivesse em uma serra e um vento soprasse em mim constantemente, balançando o meu cabelo para incontáveis direções. Essa sensação se repete cada vez que olho para o seu rosto tão de perto. Eu poderia passar o dia inteiro só assim, perto de você e te olhando e sentindo meu calor se confundir com o seu. Viena talvez possa ter coordenadas específicas, de qualquer forma, minha latitude é a sua felicidade e minha longitude é você. Se for assim só pra mim, então imagino que as coordenadas são únicas a cada pessoa. 
Te dei o mais bonito de mim e não me importo se eu der o mais valioso, te dei uma hematita e não me importo de te dar um diamante. Te dei alguns bons momentos e quero te presentear com a felicidade. Não sei se isso está completamente ao meu alcance, mas nada que alguns degraus não resolvam.
Uma vez que eu abrir meus olhos, estarei voando com você. A segunda vez que eu abrir meus olhos, estarei ao seu lado. E assim vou ficando por aqui, esperando até a hora de você voltar, que já deve estar quase. 

14 julho 2016

Cores


De repente eu me deito em um sofá, olho para o teto e começo a ver um filme, as cenas que eu mais me lembro são as que aparecem explicitamente seu rosto. A compreensão humana tem capacidades incríveis, mas ainda é bastante limitada. A minha se limita na medida em que não compreendo o porque de tudo me fazer lembrar você, pelo menos por alguns instantes. Eu fico tentando fazer uma força para saber quais são as espécies vegetais, não que eu tenha um assíduo interesse sobre botânica, mas tentar saber me faz deixar tão perto de você, mas tão perto, que não consigo evitar, é como se sua mão estivesse no meu ombro, você bem ao meu lado. 
Fico me perguntando o que é futuro e porque estaríamos juntos nesse futuro, não cheguei a uma conclusão muito clara, mas sei que se o futuro são todos os presentes que estão por vir, quero ser eu a estar com vocês em todos os presentes, sobretudo, em paz. E eu fico tentando mentalizar outras coisas, tipo o azul do céu, o verde das folhas e o marrom da terra, mas nesse momento está impossível, pois a minha cognição não está das melhores, sua presença me parece muito forte e e eu quero desesperadamente te ver. 

11 julho 2016

Sinais


Sou eu um tolo romântico cuja tempestade de pensamentos que afrontava antes de dormir faz acordar às cinco da manhã? Ou seria eu um insensato romântico que cogita mil vezes, reflete duas mil vezes e repete três mil vezes  antes de tomar alguma atitude ou de acabar não tomando nenhuma. Mas não perguntarei se sou um desesperado, pois eu certamente sou. Minha razão vive se confrontando com minha emoção e ao mesmo tempo em que estou com os pés no chão eu me sinto como se fosse uma formiga soprada pra cima e, às vezes, parece que a sensação do descontrole é maior. 
Por algumas vezes me peguei vagando por algum lugar, seja na minha cabeça ou alguma rua, perdido. E sempre que me perco dessa forma estou cercado de medo e eu sei muito bem o que temo. Eu disse que razão era pensar e que ainda me restava um pouco. Tenho medo de que a escrita esteja na parede.
Quero arriscar, mas não por isso. Quero arriscar sem que haja ruins pressentimentos.
Pro caso de eu ser um romântico, posso deixar algumas instruções - primeira: estou incontrolavelmente apaixonado, então é natural que eu sinta um vazio quando o mundo não conspira de uma forma bonita; segunda: em caso de primeira instrução, não se preocupe com minha saúde, somente por uns instantes não serei capaz de respirar adequadamente; e terceira: como eu nunca sei se estou certo, leva um tempinho até que eu tente algumas palavras.
No fim, eu penso de mais, eu poderia simplesmente entrar em acordo duas vezes com as condições climáticas, aceitar a temperatura e a umidade e saber que a previsão pra hoje era essa. Eu sei, mas simplesmente não consigo aproveitar meu sono.

08 julho 2016

Entrega


Estava aqui refletindo sobre minhas loucuras e minhas neuras, acho que sou bem estranho mesmo. Eu vou descendo a tela do celular mas nem presto tanta atenção assim. Estou me contorcendo por dentro por não saber como está agora. É, a vida nos reserva alguns bônus mesmo. Acho que os últimos, pra mim, foram os melhores. Bem, se a felicidade é feita de momentos, então acho que estou sendo feliz. Mas voltando à minha estranheza. Estranho, mas já me sinto como um velho amigo seu, meu fogo, que não é tão quente assim, deve combinar com sua água, que não é tão fria assim. Mas no fim das contas, estranho seria se eu não me apaixonasse por você.  
O que eu quis dizer com "é como se a gente tivesse se unido e nossas existências se tornaram a mesma por aqueles instantes"? Foi isso mesmo. Estou com medo de isso se tornar clichê, mas é pela minha mania de ficar pesquisando coisas, vou tentar parar com isso e viver por mim  mesmo as singelezas da vida, sem ficar me preocupando de mais. É bem verdade que eu não esperava, minha hesitação e o meu balbucio podem ter sido reflexo da minha insegurança, mas a brisa estava tão leve que em algum momento eu devo ter soltado essas impressões. Estou pensando aqui e acho que nunca fui tão livre. 
Cada vez mais eu sinto que estou me entregando por completo, meio que estou disposto a abdicar de mim mesmo. Meio que estou disposto a ir o distante que for caso você me chame. Estou usando a palavra "meio" para que não pense que estou me negando, mas suspeito que possa se ir isso mesmo. Mas eu não me importo, na verdade já faz um tempo que eu concordei comigo mesmo a respeito e viver a singelezas da vida inclui isso.
Parece contraditório falar em entrega e em liberdade na mesma frase, mas nunca uma contradição me pareceu tão verossímil. "Eu sou seu para você fazer o que quiser com isso", talvez essa predição carregue o significado de tudo. Uma amiga diria que é sinônimo de passividade, mas acho que não. Cada um é livre para escolher algumas coisas, a minha escolha foi dar eu mesmo de presente pra você. 

05 julho 2016

Tempo é deus


Eu não poderia esperar que o fim de uma etapa seria tão estranho. Estou aqui e só falta mais uma coisa. Nas próximas semanas é bem provável que irei me sentir um pouco só e devo pensar em algo para contornar um pouco isso. Na verdade, estou assim agora. Estou só adiando uma coisinha mínima em nome dos meus pensamentos. Decidi ficar aqui em casa, péssima ideia. A sensação que tenho é que sou um varrido. Estou com uma vontade louca de fazer uma trilha pra algum lugar impressionantemente belo e alto, que dê pra observar até o infinito, pra onde o horizonte aponta.  
Acho que nunca vivi tanto quanto nos últimos meses. Foram tantas emoções, tantos sentimentos, que eu pensei que não conseguiria mais respirar, como se, em alguns momentos, eu estivesse caindo em queda livre. Quatro meses? Acho que o tempo também pode ter densidade: a razão entre as sensações e os dias que se passaram. Esse tempo foi tão expressivo, que tenho a impressão de que o antes dele foi um vácuo. Era tudo tão monótono, parece que nem existiu, salvo algumas exceções.
É importante ressaltar que aqui retrato diversos sentimentos, e agora estou falando que meu maior desafio para os próximos dias é evitar que o que vier até a próxima etapa se transforme em um extenso domingo. Lembra o que eu disse sobre estar em uma trilha? Bem, queria estar com alguém nessa trilha. Mas só de ser esse alguém, bastaria uma sombra sob uma árvore num lugar onde mais ninguém fosse. Assim o tempo em minha cabeça iria parar, como sempre acontece. Odeio isso no mundo, minhas horas param, mas as do relógio passam. Queria achar a lâmpada do gênio, meu primeiro desejo seria me transportar, o segundo seria que o tempo parasse quando eu estivesse com você e o terceiro eu te daria. 


03 julho 2016

Éden


Isso meio que cheira como flores. Algumas vezes na minha vida, quando eu via uma roseira, eu costumava exaurir meus pulmões de ar para que quando eu inspirasse, todo o perfume daquela rosa passasse pra dentro de mim, como se minha existência dependesse daquele aroma. Eu poderia senti-lo para sempre. Eu gosto do seu cheiro. Eu gosto do seu cheiro. Isso é tão presente, tão intenso, que não consigo controlar. Meu corpo se estremece por inteiro, pois sinto calor e frio ao mesmo tempo. Uma mão gélida percorre meu corpo ao passo em que meus lábios saboreiam o mais doce mel. Meu coração palpita infinitamente e pulsa mais rápido a cada toque. Definitivamente, estou decidido a me entregar como nunca antes. 
Estou na janela de um ônibus em que entra um vento bastante frio e ao mesmo tempo o sol esquenta meu pé calçado de chinelo. Eu não sou capaz de ficar sem contar os dias, as horas os minutos e os segundos só pra poder olhar pra você, como se seu rosto fosse o mais belo quadro já pintado. Mas enquanto esse tempo não passa, me contento em olhar uma foto e com uma troca corriqueira de mensagem. Mas qualquer coisa de você já é pra mim como o maior tesouro que alguém pode ter.
Acho que não consigo pensar em minha vida sem você e se tento imaginar isso, eu tenho  a mesma sensação de estar em um compartimento escuro cheio de cobras sibilando. Isso deve ser um sintoma da saudade instantânea, que bate logo nos cinco primeiros segundos após um tchau. Aí eu fico ali, vagando, feito uma alma penada, mas não sou irresponsável, então direi que uma alma feliz. Mas fato é que acordei hoje bem cedo, como de costume, e agora estou aqui pensando em formas de ter sua companhia, pois o tempo é relativo e pra mim ele está passando bem devagar.
Eu sou adulto, então posso amar. Essa frase me estranha um pouco, pois crianças são jovens de mais para esses sentimentos, mas eu me lembrei que não sou mais criança, minha mãe já me passa cerveja sem questionar e o meu pai me oferece vinho naturalmente. Que eu vou em lugares loucos? É verdade. Eu penso tanta coisa, que no final tenho a impressão de que não pensei em nada. Mas, no fim das contas, meus pensamentos sempre retornam a você. Uma vez eu estava sozinho e comecei a pensar se isso era só por algumas miligramas de um hormônio aleatório ou se temos uma alma que causa isso tudo. Não sei se me satisfaz a ideia de ser algo estritamente biológico, mas me conforta o fato  de os outros animais serem quase que somente instintivos e o fato de nossas vidas terem se cruzado algumas vezes, talvez seja só por que o mundo é pequeno, mas talvez haja algo oculto que somos incapazes de saber, uma trilha já traçada, quem sabe? Mas enquanto nossas luzes não se encontram de novo, vou ficando por aqui observando essa tempo passar, ora pensando em coisas nada a ver, ora pensando em você.