.:Matheus com H│Blog

07 maio 2017

Eu não quero deixar

Simplesmente começou e eu nem me dei conta. Pouco a pouco foi desaparecendo e eu sem perceber. E aí um dia acordo e não estava mais lá. Não importa o quanto eu tente agora, não sai mais nenhuma nota tal como era antes. Fui escrevendo cada palavra e agora vejo um significado para aquele sonho que tive, se não me engano, na noite anterior. Agora me pego questionando como fui deixar um pedaço de mim se desfazer tão sorrateiramente. Talvez eu só ande muito preguiçoso, me dedicando a umas coisas que não importam muito e aí o que me define só vai ficando pra trás, como areia escorrendo em um bolso furado enquanto ando. Estou com vontade de um cigarro, de me deitar na varanda olhando pro céu e chorar até que não haja mais lágrimas e ao mesmo tempo meus olhos não se encarregam disso. Não quero ser um peso de porta e nem deixar ir.

24 fevereiro 2017

Guardanapos


Bom saber. É bom saber que posso ser uma criança quando estamos só nós dois. Quando estou no seu guarda roupas e depois me escondo sob os travesseiros com muita vergonha. Cada traço de você é um talismã que me prende completamente, sem lugar nenhum pra ir e mesmo assim não posso dizer que estou sufocado, na verdade, sou livre, tenho asas para voar pra onde quiser, mas escolho voar ao seu lado ao infinito. Sua respiração é a minha porção do amor e o aroma dela, o meu alimento. Se vou juntado pedaços pelo meu caminho vou vendo uns negócios que me fazem lembrar de você, estava ali meio sozinho. e se me perguntam quando primeiro te amei? foi no primeiro oi?, eu não sou daqui. Queria dizer umas coisas antes que não esteja tão perto de mim, pois quando voltar é possível que eu não tenha mais unhas de tanta ansiedade. Vá, mas guarde em sou bolso. 

08 janeiro 2017

Frases de um dossiê de amor


Uma pitadinha de sal rosa do Himalaia é suficiente pra afagar o gosto amargo de umas buchas de abobrinha amassada. Quando eu imaginaria que após aquela sessão fria de um domingo eu sairia tremendo e com vontade de querer escalar o mais alto pico do planeta Terra. Quando eu imaginaria que em um dado momento da minha vida eu iria decidir por adotar esse grande geoide como meu objeto de estudos? É engraçado pensar que no polo mais acadêmico da cidade ou do estado eu encontrei um amor assim? Um que é tão bom e por ser tão bom, espero sempre o melhor, e por isso, qualquer poeira sob cola me faz pensar mil coisas da forma mais complexa possível. Mas sendo a existência humana passível de desequilíbrios, por que não seria o que deriva dela também? Mesmo assim, mesmo sendo a existência humana limitada, ao menos quero que esse amor dure enquanto a minha durar e, se possível, compensar ainda o tempo que ele ainda estava por vir, se assim permitirem os céus, as estrelas ou qualquer conspiração universal que houver.
Ver um filme faz parecer tão simples a escalada, mas sei que não é. Não sou nenhum homem de aço, não basta um pulo até chegar no ponto mais alto, é preciso mais, esforço, trabalho e dedicação. Mesmo que meus braços sejam fracos, estou disposto a deixá-los mais fortes pra isso. Se o céu não pode ser tocado, se somos imperfeitos e incompletos, que ao menos poder sentir o melhor e poder provocar o melhor. Quero que dê certo. Quero ter o privilégio de trocar nossas almas de lugar por certos instantes.

01 dezembro 2016

Eu não sou especial


Você não é especial, aí de repente descobre isso, algo que sempre achou que fosse. Isso tudo por umas míseras gotas de empolgação em algum instante. Pra que serve isso? Sejamos francos, me diz o motivo de estarmos aqui, me diz, já que você não tem interesse de me escutar mesmo. Isso mesmo! Parabéns! Adoro isso de você mudar e não falar nada comigo, amo só descobrir na hora. Mas não vou ser anti ético, não é mesmo? Mas que fique bem claro que as palavras são minhas.
Se eu vou poder? Não, obrigado, talvez até lá eu mude de ideia, mas nesse momento sou assim mesmo. Não vou me achar hipócrita depois, estou tranquilo. era só um desabafo meu. Fiquei até meio eufórico uma hora, vamos ver no que dá.
Ao menos uma coisa me deixa um pouco feliz, não vou precisar de ver essa cara feia disfarçada de bonita. Nem precisa de me agradecer pela participação, não faço questão de dizer obrigado, de nada.
Tchau :)

24 novembro 2016

Tomate seco


Quem se importa se sou original ou não? Eu não. Engraçado é que parece que começo a gostar das coisas que te envolvem, simplesmente assim. Só vou gostando, até seu jeito começo a imitar, até tomate seco começo a comer, meus neurônios, os mesmos desse cérebro que você disse que eu amava, quando na verdade eu disse que te amo, são atraídos facilmente pela simples lembrança de você.
Falando em tomate seco, que é, na maioria das vezes, vermelho, lembro de um belo cristal que só descobri graças a minha vontade de estar com você e minha insistência em ficar por aí seguindo você. Vou me lembrar de química, vou me lembrar de complexos, vou me lembrar de vanadatos, vou me lembrar de vanadinita. O museu representa-a como pouco abundante, como especial. Nós dois sabemos que o museu não é lá muito confiável, mas mesmo se for mentira, você é pouco abundante pra mim, uma amostra única, insubstituível. Nesses breves estudos, descobri que não importam as dimensões, só as relações angulares, enunciado de Steno, por isso, mesmo um cristal hexagonal com faces de tamanhos diferentes, meio assimétrico, não é capaz de reduzir o quanto fico maravilhado. Ultimamente ando com saudade dos minerais, meio deprê. Mas trocaria um berilo vermelho pra passar um dia com você. E no final, certamente, não sobraria nem uma carcaça, nem cabeça, nem espada, mas apenas minha vontade de trocar tudo por você, quantas vezes forem necessárias. 

24 outubro 2016

Um pequeno silêncio


Fico triste quando não te vejo durante aqueles dez minutos que eu poderia te ver. Minha cabeça sabe lidar perfeitamente com isso, mas meu coração se joga em prantos no chão.  Acho que a vida insiste em pregar algumas pequenas peças nos meus anseios. Fiquei idealizando aquela viagem em tão pouco tempo, e que viagem! Mas às vezes sou palco de palhaçadas. Eu estou um coringa com uma lágrima desenhada sob meu olho direito e com a maquiagem de um sorriso inverso. Um sobre sorriso, cadê o meu sorriso? Não deu tempo nem de sentir saudades e já estou sentindo. Ironias...

09 setembro 2016

De repente

Quando a própria existência começa a pesar mais que o aquilo que as pernas conseguem carregar fica bastante complicado de andar. É difícil poder controlar algumas loucuras que se tem impulso de fazer, a sensibilidade fica tão alta, que qualquer coisa toma proporções semelhantes a um diamente riscando talco. Talvez doa.
E se de repente eu virasse só pó ou um pedaço de nada? A sensação de ver aquela pessoa que tanto amo pela última vez fica dando as caras às vezes. Fico pensando no medo que tenho de me tornar um nada eternamente sozinho. A realidade é ruim. Mas eu realmente queria te ver mais essa vez, sendo ela a última ou não, mesmo que isso significasse uma despedida não tão adequada à minha vontade e que depois eu ficasse mal de não ter olhado para o seu rosto o tanto que quisesse olhar, eu fiquei.
Alguns momentos fico com bastante medo de certas decisões que eu talvez possa tomar, mas o fato é que algumas vez acho que meu balão está denso de mais, não consegue subir. Meu medo é de acabar preferindo estourá-lo. Mas aí fico pensando em como um certo hálito é capaz de mantê-lo no alto.
Agora parece que minha mãos são apenas imagens, pois é como se eu tentasse segurar minhas lágrimas com elas, mas não adianta, elas passam direito atravessando tudo.
Pular é muito fácil, mas acontece que a gente nunca tem certeza. Uma possibilidade que ronda minha cabeça é de eu me tornar sublime antes de tocar o chão.

04 setembro 2016

Poucos milímetros


Fico pensando em com que fita métrica eu meço o que eu sinto por você. Em centímetros, eu demoraria muito pra chegar no algarismo duvidoso. Talvez nunca chegasse.
Só umas gotas poucas caindo e crepitando no telhado como uma fria brasa de água. Elas me fazem lembrar suas mãos gélidas que percorrem meu corpo e esquetam sem queimar e ardem sem doer. Isso deixaria qualquer termômetro bufar de raiva. É uma indecisão tão pouco vulgar, cheia de curvas, um labirinto. Só eu tenho o poder de percorrê-lo, e você. Eu domino o mapa e o compartilho com você. Mesmo se eu não soubesse o caminho, eu entraria complemente nu, completamente cego, completamente surdo pra encontrar você.
Se eu pensar mais sobre isso, vou ficando pouco a pouco sem chão, pois começo a só observar as palavras saindo dos meus dedos. O único som em que presto a atenção é o canto dos pipirrans, pois é o que para sempre me fará lembrar de você, para sempre, até que eu morra guardarei isso comigo. A ideia do eterno retorno, de fato, pode parecer assustadora, mas o êxtase de um segundo se repetindo eternamente com você é inimaginável. É como se o calor, rompido dos seus pulmões, incidindo sobre os meus ouvidos, fosse o toque de algodão em minh'alma.
Fico feliz de poder lembrar do seu sorriso de coríndon antes de fechar meus olhos.
A chuva chegou
De verdade agora
Me dê sua mão
E não sobrecarregue seus cotovelos quando estiver deitado sobre mim. O peso do seu corpo é, no mundo, o que mais se opõe ao caráter posito da leveza.

22 agosto 2016

Trêmulo


Eu realmente não sei o que há comigo. Isso não é nem um pouco necessário. Tenho certeza que vai passar e estou tentando jurar que hoje foi a última vez. Eu achei que aquilo ia passar, mas não passou. Provavelmente sou mesmo um idiota, um arrogante, orgulhoso ou imbecil. Será que está auto condenação é um açoite a mim mesmo? Quando foi que encomendei isso? Boa pergunta. Estou deixando no ar essas poucas palavras pra ver se alivia. Agora estou tão perdido que nem me lembro mais onde está meu anel.