.:Matheus com H│Blog: Fevereiro 2012

26 fevereiro 2012

Uma foto, uma inspiração especial

O "Uma foto, uma inspiração" de hoje é especial pois não será somente uma foto, mas cinco com o tema Pôr do Sol, as fotos foram todas tiradas por mim, eu não as editei pois considerei que ficaram ótimas, espero que vocês também. As fotos são basicamente as mesmas, mas cada uma com sua beleza própria, vejam: (para aumentar clique sobre elas)


























22 fevereiro 2012

A abelha e o homem

Trouxe mais um vídeo meu pra vocês, dessa vez com a música a Abelha e o homem. Tive coragem de mostrar a cara. O vídeo está privado no You Tube, mas não vou passar o link como da outra vez, motivos pessoas.

O áudio não está dos melhores e muito menos a imagem.
Por enquanto o "músico" sou eu, estou tentando trazer um amigo meu para trabalhar aqui, espero conseguir.
Mas por enquanto serei eu mesmo, estou usando a flauta que mostrei em um post passado para conferir clique aqui.
O único instrumento que toco é flauta, continuando...

Houveram alguns erros, mas a pilha da câmera já estava acabando e...

Todo o conteúdo de é de minha autoria
(Matheus Marlley)


21 fevereiro 2012

Como me dar bem com o professor?

Todos nós sabemos que existem professores chatos, há quem ache todos os professores chatos, não é o meu caso. Mas uma coisa que todos deveriam saber e não sabem é que o mundo é movido através de respeito. Você pode não gostar mas há de respeitar.

O princípio básico para ter uma relação excelente com professor é gostar dele. É a mais pura verdade. Qual é melhor: estar com uma pessoa se sentindo obrigado ou estar com uma pessoa que você gosta e sentindo que está lá por que quer? Creio que vocês prefiram a segunda opção. 

As dicas que darei aqui giram em torno do respeito.

Eu sei que TODOS nós ODIAMOS receber xingamentos, seja de quem for, pai, irmão, vó, professor; mas temos que entender uma coisa: se alguém nos xingou é por que fizemos algo errado e essa pessoa quer que tenhamos um caráter forte e sejamos uma pessoa de bem, é o caso do professor. 

Então, nas aulas evite ficar conversando durante a explicação da matéria, qualquer professor pira. É o "ó" para o professor quando ele acaba de explicar que 2+2=4 aí vem um "Zé Mané" que estava conversando na hora da explicação e durante o exercício pergunta: "Professor, quanto é 2+2? É um exemplo bem tosco, mas acontece mais ou menos assim.


Jamais tente fazer o professor de otário, trouxa ou coisa do tipo. O professor pode parecer o maior pascoal* mas ele não é há algumas exceções  mas é melhor prevenir do que remediar. Eu tive um colega que não fez o dever de matemática e no outro dia tentou enganar a professora mostrando um outro exercício, resultado no final do ano: BOMBA ele repetiu a série.

Existem professores legais, que deixam a gente conversar cinco minutos antes da aula acabar, nos levam à informática, às vezes dão aula livre, conversam usando gírias e muito mais. Mas uma coisa que temos que entender é que o professor também tem regras a cumprir. Então não vá achando que só por que professor é legal e tals que você vai poder dizer: "Vamo quebrar tudooo!". Nem sonhando! O professor vai perder a confiança em você, vai mudar o comportamento e resultado: "Nossa, o fêssor era tão legal no começo do ano agora ela tá mó chato! Será por quê?" Então não abuse.

Não seja um "songa-monga" com os estudos, o dever do professor dentro da sala de aula é fazer o aluno entender o que está estudando e fazer-lhe um Bill Gates da vida. Não adianta nada um professor formado na melhor faculdade do estado para um aluno desmazelado com estudos

O professor formou, tem o diploma, tudo certinho e tudo OK, mas ele ainda é humano. Traduzindo, ele pode errar como qualquer um, ou seja, nada de jogar na cara dele que ele errou, pois ele pode jogar na sua cara que você não tira 10 em todas as provas, que você erra muitas questões do para casa, etc. Creio eu que ele não fará isso por causa da ética, mas pode acontecer. Faça sua parte!

Agora as dicas que darei agora são para, de algum modo, gostar do professor.

1- Desde o primeiro dia, tente gostar do professor, entenda ele, o conheça.
2- Crie laços, seja amigo. Mas é preciso um equilíbrio.
3- Se você não se sente bem, converse um pouco com ele, mas cuidado pra não atrapalhar muito a aula.
4- Se ele te xingar, veja isso como uma forma de tentar melhorar a si mesmo.
5- Ele gosta de você, não há razão pra você não gostar dele. 
6- Os professores não são iguais, entenda as razões de cada um deles.
7- Não tenha medo do professor, mas respeite-o.
8- Se ele fez alguma coisa que não agradou, diga-o, fazer cara feia não vai resolver.
9- Peça desculpas se achar que fez errado, pode ajudar MUITO.
10- Esteja sempre com ♥ no ♥! rs


Então, gostaram das dicas? Espero que sim. Abraços e até mais!

Preciso de vocês!

É o seguinte, me inscrevi em um concurso do blog Depois da Primavera e Garota Inocente, eu quero saber se posso contar com a ajuda de vocês para me ajudarem a ganhar.

Se eu conseguir vencer o concurso o nosso blog conseguirá mais leitores, publicidade e quem sabe uma oportunidade?

Conto com a sua ajuda,

Matheus Marlley.

(data original: 21/02/11)

20 fevereiro 2012

A gente andava bem distante


A gente andava bem distante
Era bem matinal
Com o coração, a esperança
De chegar antes do Natal
Este, a gente esperava um ano
Até que chegasse
Tem sentido de bem longe
Assim como quando
A gente andava bem distante

Mamãezinha dizia que bizinha dizia
Que para tudo e todo mundo há de ter
Sua primeira hora
Pois bem, de fato, tal fato aconteceu
Eis que tive minha primeira hora
A gente andava bem distante

Antes de brincar de esconde-esconde,
Ficar apertadinha e depois voar pra longe
Mamãezinha me salvava.
Eu brincava “cons” meninos
E voltava molhadinha, molhadinha
Mamãezinha me enxugava
“Esse suco salgado antes de lhe molhar
era ouro”

Abria minha boquinha e me jogava ouro

A gente andava bem distante
Na volta, na tardinha
O “antes ouro” me molhava
Mamãezinha já havia voado
Só me restava fazer, o fiz

Abri a minha boquinha e me joguei  ouro

“Menina, não faz isso, não!
Que isso é ouro no sertão”

Pus-me a chorar
Vovozinha me chamou a atenção.

A gente andava bem distante

Uma foto, uma inspiração


Mais um "Uma foto, uma inspiração". Essa foto eu mesmo tirei e editei, como todos aqui desse quadro menos o primeiro. Como fotografia é uma arte, decidi dar o nome dessa obra de "O Menino Pensante" no português, mas na minha língua "O Menini Pensant" Que no caso sou eu. 


Deixarei o post de amanhã programado. 

Gostaram? Comentem. 


Dica - Cartão e envelopes personalizados

E aí, galera, como vão? Preparei dois tutoriais para vocês deixarem a vida daquela pessoa que vocês mais gostam mai alegre, vejam os resultados: 




(fotos minhas)

Bom, na verdade está mais para dicas pelo fato de ser fácil de fazer. 

Começando pelo envelope:

*Materiais:
-1 (um) envelope.
-Canetas hidrográficas, lápis de cor ou giz de cera

*Fazendo: Para fazer é MUITO simples, basta apenas fazer o desenho ao seu gosto. 
Caso queira o mesmo efeito que usei no meu envelope, basta apenas pegar canetas hidrográficas de cores diferentes e traçar texturas diferentes em cada lado do envelope: Faça círculos pequenos e coloque uma espécie de ponto dentro de cada um, os círculos têm de ficar um perto do outro. 
Use esse mesmo efeito com hexágonos. 
Na parte de trás do envelope fiz vários arco íris um sobre outro, formando assim uma textura!

Cartões:

*Materiais:
-Papéis cartão (aqueles duros) de preferência brancos
-Lápis para escrita
-Borracha
-Lápis de cor variados
-Régua
-Paciência

*Fazendo: Com o lápis defina as bordas do papel cartão com ajuda da régua, quando achar que está bom de cor às bordas. Você pode também fazer as bordas onduladas, fazer bordas de círculos usando o compasso e até fazer bordas só em dois lados do cartão.
Para ter um coração como o da foto, use a régua. Ele fica com uma pegada futurística, colora ao seu gosto e contorne com lápis de cor preto para ter "mais sentido". 

Seguindo essas dicas você terá o resultado do começo do post e deixará mais alegre a vida daquela pessoa...

Espero que tenham gostado! ♥♥♥


Presente: Nova Flauta

Vim dizer a vocês que ganhei uma flauta nova, pra ser mais preciso Flauta Doce Contralto. Eu já sabia tocar a Soprano (mais conhecida) tirei uma foto das duas para vocês verem a diferença:


Aproveitei e gravei uma música:
(o som mais grave é da flauta maior -contralto- o som mais agudo é da flauta menor -soprano)

Nona Sinfonia, creio que todos conheçam!







Louco, doido


Para ler outro texto referente à loucura clique HERE
Louco, doido

Chamam-me de louco, doido.
Talvez eu seja,
Mas não entendo.
Talvez a razão seja o fato de gostar de trancar-me no quarto
Quando há bagunça.

Chamam-me de louco, doido.
Acordo com o cabelo anormal.
Os meus amigos, quase irmãos,
Tornam-se uma espécie de amantes.

As modelos mais lindas
São as negras carecas.
Às vezes na chuva encharco-me todo.

Durante provas divirto-me rindo de mim mesmo.
Sou fanático em português

Minha voz caiu devido à idade,
Todavia tal fato natural
Não me impede de cantar ópera
Como soprano

Desafio as leis naturais,
Faço o que ninguém faz.
Ando no chão, sei soprar bolhas de sabão,
Sinto dor e mais...
Não é incrível?

Talvez eu seja louco, doido.
Apenas por que encontro beleza em todos

Choro pelos normais,
Não passam de insignificantes!


Uma foto, uma inspiração


O nome dessa foto é "O Homem e a Borboleta" mas eu prefiro "Mensch und Natur".
Achei incrível o fato de essa borboleta ter ficado em meu braço um tempo considerável, depois coloquei ela na "natureza" (em BH não se pode dizer natureza) e depois acho que ela se foi... Estava debilitada.
Enfim, vejam:



Mãe e filho




Esse texto é uma crônica que escrevi relatando um diálogo entre um filho e uma mãe. É bem simples, mas eu gostei.

Mãe e filho

A mãe acaba de chegar em casa, se arruma e vai para a cozinha preparar o jantar. O filho que estava está assistindo televisão na sala de estar se levanta e dirigi-se à cozinha. Observa o que faz a mãe e pergunta:
-Mãe, o que você está fazendo?
-Nada. - responde naturalmente.
-Hein, mãe, o que você está fazendo?
-Nada.
-Mãe, por favor, me diz o que você está fazendo - o garoto falta chorar.
-Nada, já disse.

Com cara de insatisfação ele se dirige a sala, olha rapidamente a televisão e volta para a cozinha novamente. Observa a mãe. Esta pergunta:
-Filho, já começou o jornal das 18 horas?
-Nada, -com cara de deboche - não passei pela sala. 
-Entendo...

Após uma pausa na conversa a mãe diz:
-Filho, vai adiantando o suco pra me ajudar com o jantar.
-O quê?
-Faz o suco!
- Por favor, mãe, o que você está fazendo? -diz em tom de zombaria.
-Água!
-Ai, ai. -indo para sala para zombar mais ainda da mãe.
-Vai fazer o suco, ou não?
-Mas é o quê? Comida?
-É. -diz da forma mais cuspida do mundo.
-Ah tá, entendi agora. Não sei se o jornal começou, mas acabou o limão!


Pra fazer pensar

Coloquei aqui aluns gêneros e meios para passar umas ideias, para fazer vocês pensarem mesmo.

Começando por esse vídeo:
As imagens são um pouco fortes, mas reflita.




Duas fotos:

em inglês: Quando eu disse que te amo.

em inglês: O Amor não conhece limites
Imagens tirados do we♥it
E para finalizar a seguinte passagem da Bíblia:

"Amai uns aos outros como eu vos tenho amado" (Jo 13, 14)

Não quero converter ninguém ao Cristianismo, mas galando sério: Você nunca fará mal a quem você ama!!!


Do muro

O texto que vocês leram a seguir na verdade é uma música que eu escrevi, não sou muito bom nisso. Enfim, ela não tem um tempo definido, se vocês repararem vão ver que no começo é um tempo presente e em outra parte fala do que de uma coisa que acontecia. Mas não ficou confusa.
Por ser uma letra minha não há quem toque ou cante, logo abaixo a melodia, quem está cantando sem acompanhamento sou eu. Vamos ver no que dá! Espero que gostem:

Do muro


Do muro da minha casa
Vejo gente passando,
Vejo gente me olhando,
Vejo gente sorrindo,
Vejo gente chorando,
Vejo gente gritando.

Vejo gente gorda,
Vejo gente branca,
Vejo gente negra,
Vejo gente magra.

Vejo gente mal,
Só não vejo gente com cara de "down",
Por que ali naquele lugar não tem cara de "down".
Por que ali não lugar não tem gente igual.

Agora na minha casa não tem muro, tem muralha
E não estou em condições de ver gente passando,

De ver gente me olhando,
De ver gente sorrindo,
De ver gente chorando,
De ver gente gritando,
De ver gente latindo,
De ver se batendo,
De ver gente se amando.

Naquela época eu era feliz e não sabia.
Naquela época eu era feliz e não sabia. 
É bem ruim quando e gente era feliz e não sabia.

De ver gente passando,

De ver gente me olhando,
De ver gente sorrindo,
De ver gente chorando,
De ver gente gritando.




Na imagem do vídeo um quadro que eu pintei.

Caso queiram ver pelo You Tube usem esse LINK. Só é possível usando esse link por que o vídeo é exclusivo do blog!



Espero que tenham gostado da música por que da voz é impossível





Caetano Veloso, Maria Gadú - Trem Das Onze

Ultimamente ando sumido, sei. Para "limpar" minha ausência trouxe um vídeo para vocês. É uma música naturalmente brasileira, creio que todos você conhecem, mas essa versão é um dueto de Caetano Veloso Maria Gadú, eu particularmente adorei. Quero que vocês observem o Caetano cantando, observem a perfeição. Confiram:



Uma foto, uma inspiração

No mundo em preto e branco somente a esperança teria cor:


De cor à sua esperança!

Assunto: Escola e Material Escolar!

É o seguinte, vou tratar de um assunto que me agrada muito: Volta às aulas! Quando se fala em volta às aulas as crianças/adolescentes já ficam bambas (pelo menos eu vejo assim). Pra mim, falar de Volta às aulas e falar que está chovendo chocolate, ou seja, as mil maravilhas. Sou bem diferente, sei.
Enfim, vou dar umas dicas para vocês para se saírem bem durante ano, tanto com as notas quanto, com o material escolar.


Melhorando as notas: 
Esse ano na minha série (9º), haverá provas toda semana. Se vocês têm esse mesmo problema nem pensem duas vezes em estudar desde o primeiro dia de aula, fins de semana, intervalos, etc. Mas é claro que a gente PRECISA de outras coisas além dos estudos, mas não vá exagerar, pois esse "lazer" que buscamos, muitas vezes pode nos prejudicar, digo por experiência própria! INTERNET: não precisamos dela mais que duas horas por dia. Meu amigo, se você passa de 4 a 5 horas na frente da telhinha navegando, tenho uma coisa a lhe dizer: Vício pode lhe prejudicar MUITO futuramente, ou num futuro mais próximo.
">Eu era viciado em um jogo, e perdi uma média ano passado. Foi a única, mas como sou orgulhoso, doeu da garganta ao estômago. Pra vocês que tem as famosas "semanas de provas", vale a mesma coisa: Não deixem para estudarem um dia antes da prova, se não se darão muito mal.
Há também certas diferenças entre as pessoas, cada uma tem dificuldades diferentes do que outras pessoas. Você terá que saber quais são as suas dificuldades e se organizar com os estudos, saberá assim as matérias em que você terá que dar prioridade. Entretanto, TODAS as matérias têm que ser revistas para evitar futuras dificuldades.


Material escolar:
Esse assunto é ótima para se tratar. Primeiro de tudo, organização. Segundo, zelo.
É sempre bom ter o nossa material organizado, com o nome. Facilita MUITO a nossa vida. Começando por um assunto que dá muita preguiça: Capas para livros e cadernos. Nas escolas públicas, temos que devolver o livro no final do ano, gente, pelo amor de Deus, encapem os livros. Imagine se ano que vem você pega um livro todo mulambento, sujo, rasgado, um lixo! Não gostaria, né? Pois bem. Você tem preguiça de encapar? Não tem importância, em qualquer papelaria vende aquelas capas que bastam apenas colocar no caderno. Cá entre nós, elas se saem muito bem! Fiz um teste ano passado, confiram:



O caderno vermelho é o que eu usei com capa (Matemática), o caderno a amarelo (História) eu usei sem capa, percebem a diferença?
Para vocês que estudam em escolas particulares, vale a mesma dica: Encapem. Se vocês são daqueles que vendem o livro no final do ano ou passam para alguém, é sempre bom receber algo conservado. Se não faz nenhum dos dois mas guarda na estante, vai uma pergunta: "Quem gosta de guardar mulambo na estante?" Por favor, JAMAIS joguem o livro fora, passa pra frente ou venda. Alguém pode precisar muito disso.

Cadernos de arame: Não encapo os meus, acho horroroso! Uso proteção nas pontas, na dúvida improvise. Vale até Durex rs.


Quem odeia tampar a imagem do livro bate aqui o/. Vai a dica: "Usem aquelas capas plásticas elétricas que aderem à capa dos livros fácil, fica quase que imperceptível. Confiram o exemplo com meu livro de Matemática:


O material deve estar devidamente nomeado com Nome e Turma. Todos nós sabemos que em caso de perda, é mil vezes mais fácil ser devolvido se estiver com nome. Tirando o fato que dificulta a vida dos ladrões. Pois sabemos que existe isso.

Então, espero ter ajudado vocês e não só leiam como usem as dicas. Mil beijos e até a próxima.

Uma foto, uma inspiração

E aqui vemos a estréia do quadro "Uma foto, uma inspiração". E para trazer inspiração para vocês, eu trouxe uma foto de um quadro que fica na parede da minha casa. Eu particularmente adoro esse quadro:

(para aumentar clique)

Espero que tenham gostado.


Novo Quadro

É com prazer que lanço um quadro novo:
"Uma foto, uma inspiração"

Postarei uma foto aqui no blog para servir de inspiração para vocês e para mim. Ainda vou fazer uma foto e postarei aqui.
Sobre a questão da "inspiração" é assim: Eu posto a foto, vocês fazem alguma coisa inspirada na foto, exemplo: Uma poesia, um desenho, um texto, um vídeo, seja lá o que for. E essa "inspiração" será exibida aqui no blog para os seguidores verem. E então gostaram? Até mais.

Um monólogo, O quadrado de três lados, “Desabafo para a consciência”

Esse é um monólogo que escrevi mostra um pouco de até onde pode chegar a loucura. Um homem que tenta provar que um quadrado é um triângulo. Interessante, não? Li para os meus professores de teatro e eles acharam a ideia bem legal, espero que vocês também achem! O título é imensamente um pouco grande.


Um monólogo, O quadrado de três lados, “Desabafo para a consciência” 


(Com uma forma de um quadrado de papelão na mão)

(Mostra o objeto) Que vê aqui? O que? O que vê aqui? (Pergunta desesperado)

(Começa a tremer) (Cai de joelhos) (Dá um rápido choro) (Levantando) Eu vejo um triângulo. Mas quando pergunta para os outros, (Com a mão direita acerta a parte direita do rosto) dizem que isto tem quatro lados.

(Com a cabeça abaixada chora) (Cai na gargalhada exagerada, o choro vira uma gargalhada) E daí? Se estou dizendo que esta figura tem três lados, é porque tem! Eu vejo três lados.               

Mas quando pergunto para as pessoas, para quem é “gente”, elas dizem: (Com a mão esquerda acerta a parte esquerda do rosto) “Nesta figura há simplesmente quatro lados!”

(Cai no chão e começa a se contorcer, tremer e gritar) (Começa a gargalhar novamente, é possível perceber o medo em sua expressão enquanto gargalha) (Para) Loucura! (Grita) Não acredito em você! Pare de deixar as pessoas loucas assim, elas não veem três lados nessa figura, mas sim quatro.

(Fere o próprio rosto) (Mostra o sangue para todos os lados) (Esse choro se torna um riso, este nasceu da graça, ele parece achar graça do próprio sangue) (Para de rir)


O belo e o feio estão nos olhos de quem vê. Nesse caso os outros veem quatro lados e eu três. Se realmente esta figura não possui três lados, no futuro ela possuirá! Sendo assim, estendo minhas mãos para esta figura, cuja tem três lados e não quatro e enfrentarei a humanidade. (Sai de “mãos dadas” com a figura)

A criação do Olhar

O texto que vocês lerão é minúsculo se chama "A criação do Olhar". É uma descrição de uma cena de horror. Um homem faz reviver sua, mulher que amou com todas as forças quando estava viva, mas após ela ser revivida muita coisa mudou. No final do conto deixei uma espécie de reticências para vocês imaginarem o que acontece depois...
Esse texto foi inspirado na obra da escritora Mary Shelley, famosa por escrever o famoso Frankenstein:

A criação do olhar
Giovanna ainda bel a depois de morta, sua feições perfeitas. Faltava apenas eu arrancar-lhe os olhos. Toca o sino, o par de olhos vermelhos e brilhantes foi entregue diretamente pelas mãos ásperas de satanás. OS olhos foram colocados devidamente no lugar certo.
Quase me esqueço de falar que o coração veio do peito da desgraça em pessoa. Acâmara de revitalização já estava sem ar. Giovanna se levantou. Em um piscar de olhos eu não a reconhecia.
Seu cabelo era o mesmo, castanho e cacheado como sempre foi. Ela segurava ainda a aliança em suas mãos, fora isso, já não era mais a mesma. Seu coração desgraçado podia ser visto, estava desprotegido e sem nada que o tampasse. Seus dentes podres e negros emitiam um mau-hálito horroroso. Suas mãos e pés possuíam apenas pele, ossos e unhas grandes e verdes.
Era possível ver cada veia de seu corpo, a mulher era pálida como a neve. Possuía vestimentas fétidas e rasgadas. Sua genitália e seus seios estavam a minha vista.
Os olhos se abriram. A última coisa que vi foi um par de olhos grandes e vermelhos.
Estou aqui, agora porque fiz um pacto satânico:
Se eu conseguisse realizar a minha criação, poderia morrer sete vezes.


Segundo dia – quinta-feira, 13, outubro de 2011, Brasília

É o seguinte: Esse texto escrevi quando fui em Brasília/DF, ele descreve um lugar chamado Ceilândia. Uma zona que possui condições precárias de infraestrutura, educação, lazer e entre outros que deveriam ser garantia de cada pessoa/cidadão. Nunca pensei em colocar esse texto aqui, mas já que veio a ideia...
No final há um pensamento em relação à Santa Paula Frassinnetti. Mulher especial, que sua vinda à terra foi o motivo de muitas conquistas minhas!
Ao meu ver esse texto é uma página de diário descritiva, espero que gostem:



Segundo dia – quinta-feira, 13, outubro de 2011

Francamente, para mim, o dia começou a ser especial após a minha chegada em Ceilândia.
Conversamos com pessoas simples, estas moravam em um terreiro  onde no mesmo se encontravam outras famílias.
Muitas famílias não atendiam, outras não escutavam, algumas quando escutavam estavam ocupadas, se não nos aceitavam em conversa, às vezes nos convidavam para entrar.
Moças jovens que têm de dois a três filhos, pessoas com muita história para contar, e se fossemos ouvir todas, uma eternidade não bastaria.
Crianças graciosas, todavia carentes de afetividade. Tudo era motivo de brincadeira para elas. Belas de todas as formas, cabelos loiros e encaracolados. Pele corada pelo sol e cabelos negros e lisos. Olhos verdes, marcantes e inesquecíveis. A alegria das graciosas era minha, nossa alegria.
Senhoras vividas e marcadas pelo tempo, contavam suas histórias, tristes ou felizes.
Nosso maior dever era fazer aquelas pessoas se sentirem bem, especiais.

“CONFESSO-LHES QUE NÃO SABIA O QUE PAULA VIA NAS PESSOAS. TODAVIA DEPOIS DE HOJE SEI QUE NA VERDADE AS PESSOAS VIAM EM PAULA. ELA AS FAZIA FELIZES”

Cartasarah

Subi o mais longe possível.
Das mangas que flamejam,
Observava, capturei
Veio a luz,
Cartasarah estava desenhada
Com luz.

Suas penas negras e brancas
Gentis me faziam cócegas

Em um único desenho
Aparentava sorrir,
Olhava pra mim.
Era como que, por algum motivo,
Acenava com os olhos.
Cartasarah bela
Voava, voava, voava.